E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Carnes cultivadas, vegetais e proteínas alternativas – novas tecnologias, desafios e perspectivas de mercado
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site
Carnes cultivadas, vegetais e proteínas alternativas – novas tecnologias, desafios e perspectivas de mercado
...

Fórum Internacional de Carnes Cultivadas e Proteínas Alternativas

Quais os impactos da abertura de mercado das carnes cultivadas, vegetais e proteínas alternativas para a saúde humana, bem-estar animal e meio ambiente? Para Cynthia Schuck, doutora em Zoologia (Oxford) e epidemióloga, estudiosa sobre os impactos da pecuária na saúde global, as inovações tecnológicas neste setor irão trazer avanços importantes para a saúde e bem-estar, especialmente dos animais de produção (galinhas, porcos, gados, etc), além de contribuir para a saúde da população e uso mais eficiente dos recursos naturais. “O sistema alimentar vai passar a ser mais moderno, mais sustentável, mais ético, mais justo e mais saudável”, ressalta a especialista e palestrante do New Meat Brazil 2021 - Fórum Internacional de carnes cultivadas e proteínas alternativas, que será realizado no próximo dia 21 de setembro, virtualmente.

Carnes cultivadas – desafios e oportunidades
Estima-se que o consumo de proteína deva dobrar nas próximas três décadas para atender uma população crescente, que deve chegar aos 10 bilhões de pessoas no início dos anos 2050, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O investimento em novas tecnologias de carnes cultivadas é apontado como uma solução importante para sanar questões que comprometem o bem-estar animal, a saúde humana e o meio ambiente.

Para o professor Luismar Porto, pesquisador nas áreas de engenharia genômica e tecidual, o mercado de carnes cultivadas é altamente promissor, porém ainda enfrenta desafios. “A produção de carnes cultivadas é uma tecnologia disruptiva, que veio para mudar conceitos e surge com a promessa de sustentabilidade, da criação de um produto que é extremamente seguro para consumo, porque ela é feita toda em ambiente asséptico, eliminando os riscos de zoonoses, mas ainda tem um custo alto. Então, hoje para produzirmos carnes cultivadas precisamos de ingredientes que são muito ricos em nutrientes e que não têm substitutos fáceis, sobretudo quando se pensa na larga escala. Um dos desafios é baixar o custo dos meios de cultivo para alimentar as células”, aponta o especialista.

Outro desafio mencionado pelo Professor diz respeito à escassez de programas de formação de recursos humanos. Tal desafio apresenta-se também como oportunidade de um mercado promissor, pois o profissional que se dedicar neste aprendizado, terá grandes chances de crescimento no setor. “É um campo enorme de atuação e por isso se faz necessária a ampliação de programas de formação de recursos humanos. Para os profissionais que estão ingressando nesse setor, eu recomendaria que investissem na capacidade de autoaprendizado, especialmente nas áreas de física, química, biologia e engenharia”, indica o professor.

O especialista também compõe a grade de programação do New Meat Brazil 2021.

Sobre o New Meat Brazil 2021
O objetivo principal do evento é abrir espaço para que profissionais do setor alimentício, governo, varejo e produtores encarem de frente as transformações da indústria de alimentos. “De 2019 a 2020 houve um aumento de 72% de investimento na indústria deste setor. Estamos diante de um cenário revolucionário do setor de alimentação, que em curto prazo trará benefícios imensuráveis para as áreas da saúde, economia e meio ambiente”, ressalta Lúcia Cristina Abdala, diretora da TRIOXP, organizadora do evento.

Sobre Cynthia Schuck
Doutora em Zoologia pela Universidade de Oxford (Reino Unido). Conduziu vários projetos de pesquisa sobre a epidemiologia de doenças respiratórias, pandemias, dinâmica de doenças infecciosas e cognição animal para instituições de pesquisa nos Estados Unidos, Inglaterra e Brasil, entre outros países. Co-fundadora e diretora científica da Origem Scientifica (2005-2017), empresa de consultoria no campo de saúde global e análise de dados relacionados à ciência, com projetos desenvolvidos para o National Institutes of Health (EUA), a Organização Mundial da Saúde (OMS), Bill & Melinda Gates Foundation, entre outras. Desde 2014 também atua como consultora científica para várias organizações. É autora de mais de 60 artigos científicos em revistas internacionais, e atualmente coordena pesquisas científicas voltadas ao desenvolvimento de métricas de saúde e bem-estar de animais de produção.

Sobre professor Luismar Porto
PhD em engenharia Química pela Northwestern University (EUA), com pós-doutorados na UQ (Austrália), Harvard-MIT (EUA) e FAU (Alemanha) nas áreas de engenharia biológica, engenharia biomédica e biomateriais, respectivamente.

É professor titular (aposentado) da UFSC, onde atua na pós-graduação, e orientou dezenas de mestres e doutores. Atualmente é bolsista de produtividade do CNPq, nível DT-1D, e realiza pesquisas nas áreas de engenharia genômica e tecidual. É um dos fundadores e sócio da Tubanharon Engenharia de Processos Ltda (tubanharon.com) e da Biocelltis Biotecnologia S.A. (biocelltis.com).

Sobre Lúcia Cristina Abdala
Profissional do setor de feiras de negócios e eventos, com experiência nacional e internacional, atuando há 28 anos no mercado. Responsável pela criação e desenvolvimento de grandes feiras de negócios.

Serviço:
Informações e inscrições: https://newmeat.com.br/
Instagram: @newmeatforum

Editorias: Alimentos  Gastronomia  Saúde  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: ME News Digital  
Contato: Marly Eleutério  
Telefone: --

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.