E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Recém-nascidos e Covid-19: quais os cuidados que as mães devem tomar?
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site
Médico Alexander Engelberg, pediatra do Grupo São Francisco
Médico Alexander Engelberg, pediatra do Grupo São Francisco

Em meio à pandemia da Covid-19, as gestantes, puérperas e mães têm tido uma série de receios e dúvidas em relação aos cuidados com os bebês. O médico Alexander Engelberg, pediatra do Grupo São Francisco - que faz parte do Sistema Hapvida - traz algumas dicas e orientações para ajudar as mães em momentos tão importantes, como a amamentação.
Segundo Engelberg, não há estudos científicos que comprovem a transmissão do Sars-CoV-2 para o lactente via amamentação. \"As mães que se sentirem aptas a amamentar, não devem abrir mão por causa da doença\", frisa. \"O aleitamento materno traz inúmeros benefícios e proteções ao lactente e que são muito superiores ao risco de exposição ao vírus\", completa.
O pediatra reforça que com um recém-nascido em casa, toda a família deve redobrar os cuidados como manter o isolamento e distanciamento social, uso de máscara, higienização das mãos e uso do álcool em gel.
\"Muitas vezes, o nascimento de uma criança demanda visitas de familiares e amigos. Mas, neste momento de fase emergencial que estamos vivendo é necessário evitar essa exposição de pessoas extra domicílio\", orienta Engelberg.

Recomendações
Caso a mãe que está amamentando contraia a Covid-19, o pediatra do Grupo São Francisco explica que não há contraindicação para o aleitamento, mas é preciso seguir algumas recomendações.
\"O ideal é que o berço do bebê fique localizado a 1 metro de distância da cama da mãe, pelo menos, e que ela realize todas as medidas de higiene antes de amamentar, como: colocar máscara, lavar bem as mãos e higienizar os seios\", explica.
A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda que o aleitamento materno seja feito em livre demanda de modo exclusivo até seis meses. A partir dos seis meses, os familiares responsáveis já podem introduzir os alimentos complementares e manter a amamentação por dois anos ou mais.

Editorias: Ciência e Tecnologia  Criança  Serviços  Saúde  Sociedade  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Phábrica de Ideias  
Contato: Gabriela Virdes  
Telefone: 16-3911-3606-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.