E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Uma em cada quatro pessoas que sofrem fratura no quadril morrem no pós-operatório
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site
Segundo a International Osteoporosis Foundation, no Brasil, 200 mil mortes por ano são resultantes dessas fraturas
Segundo a International Osteoporosis Foundation, no Brasil, 200 mil mortes por ano são resultantes dessas fraturas

De acordo com a IOF (International Osteoporosis Foundation, ou Fundação Internacional de Osteoporose, em tradução livre do inglês), uma em cada quatro pessoas que sofrem fratura de quadril morre no período pós-operatório, que varia de seis meses e um ano. O órgão aponta que, no Brasil, cerca de 200 mil mortes por ano resultam dessa quebra do osso. Elas não estão, obrigatoriamente, ligadas à fratura, mas, também, a complicações como pneumonia, infecções e problemas cardíacos.

“Entre os que sobrevivem, cerca de metade perde a independência. As fraturas por fragilidade óssea se devem à osteoporose, doença que causa perda de massa óssea e prejuízo de sua estrutura”, ressalta Francisco José Albuquerque de Paula, endocrinologista da USP (Universidade de São Paulo) de Ribeirão Preto (SP) e presidente da ABRASSO (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo).

A condição afeta perto de 10 milhões de brasileiros. Francisco de Paula afirma, ainda, que medidas preventivas devem ser tomadas ao longo da vida, ou seja, favorecer o ganho de massa óssea na infância e na adolescência e minimizar a perda de massa óssea que, naturalmente, acontece com o envelhecimento. Deste modo tenta-se preservar a saúde esquelética, a qualidade e a expectativa de vida.

Atualmente existem diversos grupos de medicamentos que podem ser usados para melhorar a condição óssea e reduzir o risco de fratura. Em pessoas com osteoporose, uma queda da própria altura – o popular “tombo” – pode resultar em fratura. Segundo a ABRASSO, cerca de 30% dos adultos acima de 65 anos caem anualmente. Destes, 15% sofrem lesões. A OMS (Organização Mundial da Saúde) indica que uma a cada duas mulheres, após a menopausa, terá fratura óssea. Ocorrem cerca de nove milhões de fraturas globalmente por ano.

“Além do envelhecimento, há outros fatores que aumentam o risco de quedas. Entre eles estão certos medicamentos usados para tratar ansiedade e depressão, doenças como Alzheimer, AVC (Acidente Vascular Cerebral) e doença de Parkinson. Existem, também, outros fatores que são modificáveis, como, por exemplo, o ambiente inapropriado para uma pessoa com debilidade e que pode favorecer quedas e prejuízo visual”, salienta o endocrinologista.

Prevenindo quedas

Uma vez que a fratura óssea pode trazer graves riscos à saúde, principalmente em questões como limitação física, dependência, depressão, entre outros, a prevenção a quedas se mostra necessária. A recomendação inicial é ir a um médico especialista, mencionar como, quando e onde as quedas acontecem, dizendo também quais medicamentos usa, para que o profissional dê as orientações cabíveis para cada caso.

Muitas vezes ignorada, a visão é um item chave na prevenção a quedas. Deve-se ir ao oftalmologista ao menos uma vez no ano, fazer a correção das lentes sempre que necessário e o tratamento de catarata. Calçados confortáveis e estáveis são fundamentais, de preferência aqueles com base larga e antiderrapante.

Exercícios físicos também ocupam importante lugar na prevenção à osteoporose, a fraturas e a quedas. A prática diária fortalece a musculatura e proporciona mais equilíbrio. Os exercícios de impacto e força são os mais indicados, mas eles devem ser ajustados para a condição clínica e idade do paciente.

Segurança em casa

Como grande parte das fraturas por osteoporose acontece durante tarefas do cotidiano, é fundamental ter uma casa segura. Na cozinha, a altura máxima de armários e prateleiras não deve passar de 1,60m para facilitar o acesso. O micro-ondas deve estar a uma altura de 1,30m, com uma prateleira ao lado para apoiar pratos. Lavar louças e passar roupas enquanto está sentado é menos cansativo e reduz os riscos de queda.

Também é recomendado evitar escadas, porém, se não for possível, colocar fitas antiderrapantes na borda dos degraus melhora a aderência e sinaliza o limite do chão. Uma fita de led abaixo do corrimão ajuda a iluminar e não causa ofuscamento. Uma cama mais alta facilita na hora de deitar e levantar. Barras de apoio nos banheiros, pisos antiderrapantes e móveis com pontas arredondadas são outras medidas importantes. Os tapetes devem ser evitados.

Congresso de osteoporose

A ABRASSO realizará, em 2022, o 10º BRADOO (Congresso Brasileiro de Densitometria, Osteoporose e Osteometabolismo), o mais importante evento nacional dedicado ao osteometabolismo, no Windsor Oceânico Hotel, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ), de 19 a 22 de outubro. Participarão médicos especialistas do Brasil e do exterior, que divulgarão trabalhos científicos e discutirão novas diretrizes sobre as doenças ósseas.

O congresso abordará temas importantes sobre osteometabolismo, em particular a osteoporose. Líderes nacionais e alguns dos mais importantes pesquisadores internacionais participarão dos debates, incluindo endocrinologistas, ortopedistas, reumatologistas, ginecologistas, geriatras, pesquisadores da área básica, fisiatras, nutricionistas, fisioterapeutas, educadores físicos e profissionais de áreas que “conversam”, direta ou indiretamente, com o metabolismo ósseo. Confira todos os tópicos em http://www.bradoo.com.br.

“Por conta da pandemia, decidimos adiar o congresso e fazê-lo no segundo semestre de 2022. A data coincidirá, propositalmente, com o ‘Dia Mundial de Prevenção e Combate à Osteoporose’, celebrado em 20 de outubro. O BRADOO reúne sempre os maiores especialistas em saúde óssea do Brasil e do mundo”, conclui o endocrinologista e presidente do congresso, João Lindolfo Borges.

O 10° BRADOO terá como diretora Científica a professora doutora Maria Celeste Osório Wender. Presencial, o evento deverá ser um momento de reencontro e confraternização de todos aqueles que têm interesse no estudo, no diagnóstico e no tratamento da osteoporose.

Sobre a ABRASSO

A ABRASSO representa a união das três principais sociedades médicas dedicadas ao estudo da osteoporose e do osteometabolismo no Brasil: SBDENS (Sociedade Brasileira de Densitometria Clínica), SOBEMOM (Sociedade Brasileira para Estudo do Metabolismo Ósseo e Mineral) e SOBRAO (Sociedade Brasileira de Osteoporose).

Criada em 2011, a ABRASSO conta hoje com cerca de 1.500 associados de diversas especialidades médicas, além de outros profissionais da área da saúde que, juntos, têm a missão de difundir o conhecimento científico, estimular o ensino e a pesquisa e realizar ações preventivas de saúde óssea junto ao público leigo.

Editorias: Saúde  Sociedade  Terceira idade  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Milagre do Verbo Agência de Comunicação  
Contato: Milagre do Verbo  
Telefone: 16-991315326-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook: https://www.facebook.com/milagredoverbocomunicacao/
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.