E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




O consumo de cigarro aumentou em 2020. Conheça os riscos e os fatores que podem ter ocasionado esse crescimento
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

Produtos como cigarro, cachimbo, charutos, entre outros, fazem mal à saúde porque possuem mais de 4.700 substâncias tóxicas, entre elas a nicotina, que leva a dependência química

O tabagismo é perigoso e está relacionado com mais de 50 enfermidades, entre elas vários tipos de câncer, como os de pulmão, laringe, estômago, pâncreas, fígado, além de doenças respiratórias e cardiovasculares. Os fumantes adoecem com mais frequência, tem menor resistência física, menos fôlego e pior desempenho nos esportes e na vida sexual. Além de envelhecerem mais rapidamente, apresentando dentes amarelos, cabelos opacos, pele enrugada e impregnada pelo odor do fumo.

Produtos como cigarro, cachimbo, charutos, entre outros, fazem mal à saúde porque possuem mais de 4.700 substâncias tóxicas, entre elas a nicotina, que leva a dependência química.

Segundo pesquisa da Fiocruz, em 2020 o consumo de cigarro no Brasil aumentou 34%. O crescimento foi atribuído, principalmente, a pandemia, quadros de depressão, ansiedade e insônia.

Abandonar a dependência é um desafio, mas é a melhor medida para evitar problemas de saúde. Em apenas alguns instantes, a diferença de não fumar pode ser observada: em 20 minutos a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal, em 2 horas não há mais nicotina circulando no organismo, após 8 horas, o nível de oxigênio no sangue normaliza, e de 12 a 24 horas após o último cigarro, os pulmões já funcionam melhores.

Confira algumas dicas recomendadas para quem deseja parar de fumar:
- Defina um dia ‘X’ para parar de fumar;
- Reduza o número de cigarros por dia, até o dia definido para parar;
- Atrase o primeiro cigarro do dia;
- Realize atividades de distração para evitar a abstinência.

Sobre o Trasmontano Saúde
Com mais de 88 anos de atuação no setor da saúde, o grupo é formado pela operadora de saúde com cerca de 100 mil vidas na capital e no litoral paulista, o Hospital IGESP, que hoje é referência em medicina de alta complexidade em São Paulo e pela faculdade FASIG, uma instituição que tem em sua essência a responsabilidade com a qualidade da saúde no país por meio da formação qualificada dos novos profissionais que irão integrar a saúde brasileira. Para mais informações acesse: http://www.trasmontano.com.br/.

Editorias: Saúde  
Tipo: Artigo  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Renata da Silva Monteiro  
Contato: Renata da Silva Monteiro  
Telefone: --

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.