E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Pesquisa mostra aumento expressivo das vendas de apartamentos novos em Belo Horizonte e Nova Lima em março
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

As vendas de apartamentos novos em Belo Horizonte e Nova Lima cresceram 12,8%, passando de 243 unidades em fevereiro para 274 em março. O número de lançamentos também aumentou. No mesmo mês, foram lançadas 468 unidades residenciais, o que representou elevação de 290% em relação ao volume do mês anterior (120 unidades). Desde outubro de 2019, os lançamentos não eram superiores às vendas. Esses dados fazem parte do “Censo do Mercado Imobiliário de Belo Horizonte e Nova Lima”, realizado pela Brain Consultoria para o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG).

De acordo com o vice-presidente da área imobiliária do Sinduscon-MG, Renato Michael, os números do mercado imobiliário surpreenderam positivamente. “Estamos assistindo à divulgação de vários números negativos da economia e, por isso, os resultados positivos no mercado imobiliário ganham especial importância, especialmente considerando que março foi o mês em que se agravou a crise de saúde. E, com isso, teve início o processo de distanciamento social, provocando uma crise econômica”, avalia.

Do total de 274 apartamentos comercializados em março, 31,8% (87 unidades) possuíam preço de até R$ 215 mil. Já 33,2% (91 unidades) tinham preços entre R$ 215 mil e R$ 400 mil. No período, a região da Ampulheta registrou a venda de 119 unidades, o que correspondeu a 43,4% do total. A região Centro-Sul contabilizou a comercialização de 29 unidades e Nova Lima, 27 apartamentos. Os lançamentos concentraram-se no padrão econômico. Das 468 unidades lançadas, 452 possuíam valores até R$ 215 mil. Em março, os lançamentos ficaram restritos a três regiões da cidade: Norte (192 unidades), Venda Nova (260 unidades) e Oeste (16 unidades).

Com o número de lançamentos superior ao de vendas, a oferta cresceu 5,9%, ao passar de 3.294 apartamentos, em fevereiro, para 3.488 em março. Mesmo com essa alta, o estoque de unidades novas disponíveis para comercialização se encontra em um dos menores patamares da série histórica da pesquisa iniciada no final de 2015. A oferta residencial no mês pesquisado correspondeu a 19% da oferta lançada, resultado que demonstra o baixo volume de estoque total.

Renato Michael destaca o efeito positivo que o resultado do mercado imobiliário representa. “A construção civil, considerada atividade essencial, está mantendo o funcionamento da maioria de suas obras nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima, naturalmente com todos os cuidados de prevenção à pandemia necessários. Com isso, foi possível manter empregos neste momento de dificuldades em que não só o país, mas o mundo, todo vivência”.

Análise do primeiro trimestre/2020 em relação ao primeiro trimestre de 2019

No primeiro trimestre de 2020, foram lançados 17 empreendimentos residenciais nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima, o que correspondeu a 912 unidades. Em igual período do ano anterior, os lançamentos totalizaram 458 unidades relativas a 15 empreendimentos. Portanto, observa-se incremento expressivo (99,13%) no número de unidades lançadas. As vendas também registaram resultado positivo, passando de 710 unidades, nos três primeiros meses de 2019, para 887 unidades em iguais meses de 2020, uma alta de 24,83%.

No primeiro trimestre de 2020, as vendas de imóveis de padrão econômico (até R$ 215 mil) e padrão standard (de R$ 215 mil até R$ 400 mil) se destacaram. Do total de 887 unidades vendidas nesse período, 29,8% eram do padrão econômico e 26,4% do padrão standard. A comercialização de imóveis com valores entre R$ 1 milhão e R$ 2 milhões correspondeu a 15,8% do total e também se destacou neste período. Já nos lançamentos, que totalizaram 912 unidades nos três primeiros meses do ano, verificou-se que 53% deles corresponderam a imóveis de padrão econômico.

De janeiro a março, as regiões Oeste, Ampulheta e Centro-Sul foram responsáveis por cerca de 75% das vendas. Nesses meses, os lançamentos foram destaque em Venda Nova (260 unidades), na região Oeste (196 unidades), Norte (192 unidades) e Centro-Sul (133 unidades).

Em relação ao quarto trimestre de 2019, as vendas de apartamentos novos nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima recuaram 11,74%, ao passar de 1.005 unidades (outubro a dezembro) para 887 unidades (janeiro a março/20). O número de unidades lançadas registrou queda menos expressiva: 1,3%.

Diante desse cenário, o vice-presidente do Sinduscon-MG destaca que “as empresas buscam alternativas de sobrevivência em um momento de dificuldade e a tecnologia surge como uma grande aliada”. “Mas é preciso destacar que o aumento das vendas em março não significa que o setor não está sentindo os efeitos da forte crise econômica causada pela Covid-19. A dificuldade de acesso ao crédito, mesmo diante de queda da taxa Selic, vem comprometendo o andamento das atividades. Também é preciso aguardar os resultados do mês de abril para verificar o comportamento do mercado diante do avanço da incerteza e da instabilidade que se instalou na economia nacional. De toda forma, o resultado positivo do mês de março não deixa de ser uma boa notícia.”

Editorias: Economia  Imóveis  Negócios  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: LARA COMUNICAÇÃO  
Contato: INTERFACE COMUNICAÇÃO  
Telefone: 31-32117500-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.