E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Saúde para quem precisa: passado, presente e futuro
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

Gabriel Schulman*

“Haja hoje para tanto ontem”, brinca o poeta Paulo Leminski. É tempo de pensar o presente e preparar o futuro da saúde. A partir da Constituição de 1988, a implementação da democracia se fez acompanhar da ampliação tanto do acesso à Justiça quanto do alcance do direito à saúde.

Estes fatores ajudam a explicar o aumento das ações judiciais sobre esta matéria, assim como das dúvidas sobre como encaminhá-las. Entre as controvérsias, na pauta do Supremo Tribunal Federal, avalia-se o “dever do Estado de fornecer medicamento de alto custo a portador de doença grave que não possui condições financeiras para comprá-lo”. No Superior Tribunal de Justiça, examina-se a disponibilização de “medicamentos não incorporados em atos normativos do SUS”.

Para lidar com o volume de ações, é necessário distinguir pedidos indevidos de falhas nas políticas públicas, para atacar os problemas na origem. Uma conhecida lacuna é assistência básica da saúde, também chamada de atenção primária – ou seja, o atendimento inicial dos usuários. Não adianta lamentar a judicialização da saúde sem olhar para as filas de espera. No longo prazo, o custo do descaso exigirá seu preço, como já cobra.

O foco na atenção básica, por seu viés preventivo, é mais humano e, ao mesmo tempo, mais econômico. Na mesma linha, é preciso conferir maior atenção ao saneamento básico, à alimentação, às informações nutricionais, à saúde dos trabalhadores e dos presos. Além disso, alerta-se que uma interpretação literal da PEC do teto dos gastos públicos, que tanto preocupa no presente, terá efeitos ainda mais nefastos no futuro.

No plano judicial, a premissa é a qualificação da atuação. Cabe registrar um importante conjunto de medidas implementadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Em 2013, foram criados grupos de médicos para consulta pelos juízes. São os Núcleos de Apoio Técnico (NAT) nos tribunais, que ainda se defrontam com problemas básicos como a carência de profissionais e a divergência sobre a origem de seu custeio – o Executivo ou o Judiciário.

Foram criados Comitês Executivos Estaduais, com profissionais de diversas áreas, o que enseja espaços de diálogos interinstitucionais e permite, com baixo custo, promover troca de informações e o desenvolvimento de medidas práticas. Em 2016, foi instituído o Fórum da Saúde, para coordenar esses comitês. No fim de 2017, realizou-se uma audiência pública, ainda que sucinta, e foi lançado o NATJus, uma plataforma nacional para o cadastro de pareceres e notas técnicas para subsidiar as análises judiciais. Muito tem sido feito, e ainda há muito por fazer.

“Como será o amanhã?”, diz o samba. O exercício não é de adivinhar, é de planejar. Antes de pensar nas ações judiciais, é tempo de redesenhar o modelo. Para que o Judiciário não seja a primeira porta, podem ser adotadas formas alternativas de solução de conflitos, como câmaras de mediação em saúde, uma realidade em alguns locais do país. Permitem uma avaliação caso a caso antes de a ação judicial sequer existir, facilitando o acesso e reduzindo custos.

A jurisprudência se consolidou no sentido de que o protocolo do SUS tem caráter preponderante, não absoluto. Dessa forma, outro desafio do amanhã será discutir as doenças raras e os critérios para excepcionar o protocolo padrão. Destaca-se, ainda, a importância de aprimorar a auditoria social da saúde, por meio de aplicativos, inteligência artificial e mesmo das ouvidorias.

Por fim, é preciso mais atenção à saúde mental. Mens sana in corpore sano – mente sã em corpo são, diz o ditado latino. É uma lição do passado, que deve ser praticada no presente. Afinal, hoje é o primeiro dia do começo do futuro.



* Gabriel Schulman é coordenador da pós-graduação em Direito à Saúde da Universidade Positivo.

Editorias: Saúde  
Tipo: Artigo  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Central Press  
Contato: Central Press  
Telefone: 41-30262610-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Tags
•  EDUCAÇÃO  •  CULTURA  •  SAÚDE  •  TECNOLOGIA  •  INTERNET  •  TI  

Mais tags
O que são tags ?

Eventos
são paulo
21/05/2019

GKO Informática lança ferramenta de diagnóstico de boas práticas de gestão de frete embarcador
São Paulo
21/05/2019

GKO Informática lança ferramenta de diagnóstico de boas práticas de gestão de frete embarcador
São Paulo
21/05/2019

Banco Votorantim debate transformação digital com startups no Fintech Conference 2019
São Paulo
21/05/2019

Evento no Insper debate pontos tributários importantes da Reforma da Previdência, e o professor Breno Vasconcelos palestrará sobre custeio, no dia 21/05
são paulo
21/05/2019

Hospitalar 2019: Digisystem apresenta tecnologias inovadoras para Hospital 4.0
São Paulo
21/05/2019

Especialistas debatem a pesquisa iconográfica no mercado editorial
São Paulo
22/05/2019

ARQIA amplia participação na ExpoSec para apresentar soluções ao setor de segurança
Alphaville, Barueri
22/05/2019

Brazil Promotion promove feira com palestras gratuitas em Alphaville
Curitiba
23/05/2019

“Impactos da Crise na Formação Docente” é tema de palestra de Ivo Tonet em Curitiba
Sao Paulo
24/05/2019

Tributo à banda Legião Urbana é atração no Shopping Center Lapa
Belo Horizonte
25/05/2019

Curso de Organização de Cozinha & Mesa Pronta será dia 25 de maio, em BH
São Paulo
25/05/2019

Centro de São Paulo: 7a. Feijoada do Leão Lobo em 25 de maio no Hotel San Raphael
são paulo
25/05/2019

Convite: lançamento do livro Entre Trilhas e Caminhos em São Paulo
São Paulo
26/05/2019

Coffee Run 2019: corrida para celebrar o Dia Nacional do Café acontece dia 26 de maio, em São Paulo
Osasco
29/05/2019

Danfoss promove Road Show gratuito em maio
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.