E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




6 dicas de como fugir de golpes de doações falsas
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site
Natalie Melaré é presidente do Instituto Devolver
Natalie Melaré é presidente do Instituto Devolver

A pandemia mundial do novo Coronavírus despertou diversos sentimentos em todos nós. Medos, inseguranças, incertezas sobre o futuro, ansiedade e tristeza foram alguns deles, mas ao mesmo tempo pudemos observar o aumento da empatia, da compaixão, do otimismo e um chamado em alto e bom som para a retomada do pensamento coletivo e solidário, já que a doença tem altos índices de contágio e um paciente doente pode levar a infecção para pessoas próximas.

Diante deste cenário, a campanha #FiqueEmCasa é um pedido geral para a segurança de todos, mas muito pouco eficiente para pessoas em situação de vulnerabilidade social, que têm pouco ou nenhum acesso à saneamento básico, produtos de limpeza e higiene pessoal para ajudar no combate ao vírus, e que, infelizmente, estão sofrendo diretamente com a falta de suprimentos básicos.

É nesta situação que percebemos que o pensamento solidário não se limitou apenas a olhar para as necessidades de um vizinho idoso que precisa de ajuda nas compras de remédios e alimentos no mercado ou com a amiga que acabou de ganhar um bebê, mas também a quem a ajuda não chega sem o intermédio de uma ONG ou Instituição do Terceiro Setor.

Nestes momentos de fragilidade precisamos de atenção redobrada quando trata-se de doações e ajudas humanitárias. Golpes cibernéticos ligados ao Coronavírus já estão em circulação e têm aumentado gradativamente com o passar dos dias. De acordo com um levantamento feito pela empresa de segurança digital PSafe, cerca de 2 milhões de brasileiros foram alvo de golpes só na última semana.

Natalie Melaré, especialista em gerenciamento de organizações sem fins lucrativos e campanhas de terceiro setor e presidente-fundadora do Instituto Devolver, dá 6 dicas de como identificar ONGs e Instituições confiáveis para apoiar durante esta crise:

- Filtre as causas que deseja ajudar: não só com a crise do coronavírus, mas durante o ano todo ONGs e Instituições adotam causas de diferentes públicos em situação de vulnerabilidade para apoiar, portanto o primeiro passo é encontrar uma com que você se identifique.

- Pesquise: se você for atingido por um anúncio de uma campanha via redes sociais ou chegar até uma ONG, pesquise tudo sobre ela antes de fazer uma doação. Quem está ligado à Instituição? Quem são os indivíduos que fazem a gestão e o quanto eles estão envolvidos no dia a dia dela?

- Comunicação: durante a pesquisa, é fundamental entender como é feita a comunicação desta Instituição com a população. O ideal é que essa ONG tenha um site e redes sociais estruturados com informações básicas sobre seu campo de atuação, apresentação da equipe e ações realizadas.

- Objetivos claros: busque clareza nas campanhas com explicação do objetivo, grupo beneficiado, data de entrega e meta de arrecadação. Por exemplo: estamos arrecadando cestas básicas no valor de R$ 50 para famílias da zona leste de São Paulo, que serão entregues no dia 20 de abril de 2020.

- Transparência e Governança: antes de concretizar uma doação é fundamental entender como a instituição atua quanto à prestação de contas. Busque no site se há relatórios mensais das doações recebidas e o relato do caminho que o dinheiro fez dentro da instituição. Há fotos dos resultados das arrecadações? Há divulgação dos resultados das campanhas? Quanto arrecadou? Quantos doadores tiveram? O que foi feito com esse dinheiro? Quais foram os itens comprados? Quando foram entregues? A instituição citou algum prazo na entrega das doações?

- Tenha cuidado: muitos influenciadores, blogueiros e pessoas físicas estão promovendo ações de arrecadação de verba para apoiar causas na crise do Coronavírus. Evite fazer transferências bancárias para contas de pessoas físicas e dê preferência para doações diretamente para a Instituição que será beneficiada pela campanha.

A relação do doador com o beneficiário deve ser baseada no tripé: confiança, transparência e seriedade.

*Natalie Melaré é especialista em gerenciamento de organizações sem fins lucrativos e campanhas de terceiro setor, fundadora e presidente do Instituto Devolver. Pós-graduada por U. C. Berkeley, desviou sua trajetória de marketing de moda para se dedicar a causas de impacto social enquanto cursa Non-Profit Management por Harvard, conectando seus contatos empresariais a causas ligadas a crianças e adolescentes.


Sobre o Instituto Devolver:
O Instituto Devolver tem como missão a promoção da solidariedade em prol de crianças e adolescentes brasileiros. Para o Instituto Devolver, é possível ver um mundo onde pessoas e empresas estão engajados em construir um futuro socialmente mais justo com transparência, integridade, gratidão e compreensão. Saiba mais em: http://www.institutodevolver.org.br

Editorias: Internet  Serviços  Terceiro Setor  
Tipo: Artigo  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: HUG COMUNICAÇÃO CORPORATIVA   
Contato: Thamiris Rezende  
Telefone: 11-25348066-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.