E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Entidades comemoram adesão do governo federal à ‘Parceria Global pelo Fim da Violência contra Crianças e Adolescentes’, da ONU
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

A Coalizão Brasileira pelo Fim da Violência contra Crianças e Adolescentes obteve uma importante conquista em junho com a adesão do governo federal à ‘Parceria Global pelo Fim da Violência contra Crianças e Adolescentes’, liderada pela Organização das Nações Unidas (ONU). Mais de 30 entidades que formam a coalizão no Brasil havia entregue no dia 31 de janeiro um pedido formal cobrando do Ministério dos Direitos Humanos e Ministério do Desenvolvimento Social o comprometimento do Estado brasileiro no enfrentamento e fim da violência contra crianças e adolescentes no Brasil, contribuindo assim com o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Com o ingresso do Brasil na Parceria Global, oficializado agora em junho, o governo federal assume o compromisso em desenvolver um Roteiro Nacional (Roadmap) de ações integradas para balizar as avaliações do Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e de Adolescentes (2011-2020). Além disso, segundo o acordo, o governo compromete-se a desenvolver um sistema de indicadores sobre crianças e adolescentes, com foco na identificação das violações de seus direitos.

Para os integrantes da coalizão, a adesão significa que o Brasil assumiu o compromisso público internacional de elaborar políticas sistemáticas pelo fim da violência contra crianças e adolescentes (cumprimento dos ODS, especialmente a meta 16.2), e agora suas ações de implementação serão acompanhadas de perto pelos atores internacionais. No entanto, é preciso cautela e observar o desenvolvimento das ações, para não deixar esse compromisso cair no esquecimento, especialmente em um ano eleitoral.

A Fundação Bunge também faz parte do grupo de entidades que integram a Coalizão Brasileira. “A adesão do governo federal é um passo importante para avançarmos como sociedade. Infelizmente, para uma parcela da população, a exploração e a violência contra crianças e adolescentes não é percebida como uma violação de direitos. O governo, a família, a sociedade e o setor produtivo precisam ter clareza dessa violação de direitos e assumirem a sua parcela de contribuição rumo a transformação desta triste realidade”, afirma Cláudia Calais, diretora executiva da Fundação Bunge.

Para combater a violência contra crianças e adolescentes, a Fundação Bunge desenvolve ações com foco na proteção integral nas áreas de educação, saúde e proteção social e em três frentes: sensibilização, com ações de conscientização da cadeia produtiva; apoio a políticas públicas, a partir do fortalecimento da rede de proteção; e prevenção, criando oportunidades sociais, econômicas e culturais para crianças e adolescentes nos municípios onde atua.

Sobre a Fundação Bunge
A Fundação Bunge, entidade social da Bunge Brasil, há mais de 60 anos atua em diferentes frentes com o compromisso de valorizar pessoas e somar talentos para construir novos caminhos. Suas ações estabelecem uma relação entre passado, presente e futuro e são colocadas em práticas por meio da preservação da memória empresarial (Centro de Memória Bunge), do incentivo à leitura (Semear Leitores), do voluntariado corporativo (Comunidade Educativa), do desenvolvimento territorial sustentável (Comunidade Integrada) e do incentivo às ciências, letras e artes (Prêmio Fundação Bunge).

Editorias: Criança  Terceiro Setor  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Milena Dib da Costa  
Contato: Milena Dib da Costa  
Telefone: 11-36432768-2768

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Tags
•  EDUCAÇÃO  •  CULTURA  •  SAÚDE  •  TECNOLOGIA  •  INTERNET  •  TI  

Mais tags
O que são tags ?

Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.