E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Câmara discute isenção de cobrança de direitos autorais de músicas em quartos de hotéis
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

Após uma tentativa frustrada de uma emenda parlamentar alterando as regras de arrecadação dos direitos autorais, no mês de maio, o tema voltou à Câmara dos Deputados. Foram colocados na pauta, em regime de urgência, dois Projetos de Lei que propõem mudanças na legislação, como a suspensão de cobrança de direitos autorais para órgãos públicos e entidades filantrópicas (PL 3968/1997) e em quartos da rede hoteleira e cabines individuais de navios ou trens (PL 3992/2020).

Na justificativa do PL, o texto salienta que “a execução pública, em saguões de hotéis é indiscutível e a cobrança de direitos autorais é totalmente válida. No entanto, a execução em caráter privado, em aparelhos de televisão ou rádio instalados nessas unidades não se mostra plausível”.

O projeto conta com o apoio de todas as entidades de classe que representam o setor do turismo e hotelaria.

Há muitos anos o setor de hotéis e navios de cruzeiro vem sofrendo com a cobrança indevida e injusta de direitos autorais provenientes da execução ou até da mera disponibilização de aparelhos de rádios e TVs nos interiores dos apartamentos e cabines.
Segundo informações do ECAD, Escritório Central de Arrecadação e Distribuição de Direitos Autorais, uma organização privada que controla e fiscaliza a utilização de músicas em espaços públicos no território nacional, a hotelaria gera 23 milhões de reais em direitos autorais, de um total de 1,1 bilhão arrecadados, ou seja, o que ela arrecada com a hotelaria nacional corresponde a 2,5% da sua receita total, o que para a ABIH Nacional não impactaria significativamente a receita, conforme alega o órgão.

Em carta das entidades endereçadas ao Congresso, elas ressaltam que o setor não se opõe à cobrança de direitos autorais em áreas comuns e de frequência coletiva. Todavia, com amparo inclusive na Lei Geral do Turismo, os quartos dos hotéis e cabines de navios são ambientes de uso privativo dos hóspedes e utilizados de modo exclusivo, equiparando-se às suas residências, conforme já decidido inclusive pelo egrégio Supremo Tribunal Federal.

Além disso, é fundamental que haja uma sensibilidade do momento crítico vivido pelo setor mais impactado pela pandemia. Portanto, medidas que evitem a oneração ainda maior deste setor serão primordiais para evitar a perda de milhões de empregos.




http://www.grandeitu.com.br
Raul Machado Carvalho – Editor
grandeitu@grandeitu.com.br

Editorias: Cultura e Lazer  Internet  Mídia  Política  Turismo  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: www.grandeitu.com.br  
Contato: Raul Machado Carvalho  
Telefone: 11-55213483-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.