E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Fim de ano: como a impressão pode aproximar marcas e empresas na era do distanciamento social
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

Por Luiz Carli, Diretor Geral da OKI Data no Brasil



Fosse esse um ano normal, estaríamos em meio a um dos períodos mais esperados pelas áreas comerciais das companhias. Porém, dentre as diversas lições que aprendemos em 2020, existe uma demanda que se sobressaiu para as empresas: necessidade de digitalizar o contato, criando distâncias nunca vistas. Agora, o digital não é mais uma tendência emergente, e sim uma necessidade para a manutenção dos negócios. O que não quer dizer, no entanto, que a tarefa de impactar o consumidor tenha se transformado em uma questão a ser resolvida puramente no ambiente on-line.

Na verdade, em um mundo em que a atenção das pessoas se tornou o maior ativo a ser conquistado pelos vendedores, cada momento precisa ser trabalhado de uma maneira diferente. Em outras palavras, atrair os olhos e o coração dos consumidores é, hoje, uma atividade das mais complexas – exigindo muita criatividade e empenho das organizações.

É por este motivo, inclusive, que a personalização dos produtos e a adoção de estratégias de comunicação que estimulem a relação mais próxima entre marcas e consumidores têm se apresentado como saídas práticas para elevar a experiência do consumidor e criar uma base fiel de clientes. Não por acaso, o que vemos hoje é o renascimento das “malas-diretas”, ou a tentativa das organizações de firmarem um contato pessoal e, por que não, “quente” com o público-alvo por meio de cartas, e não mais pelo correio eletrônico.

As tendências comportamentais e de mercado confirmam: uma pesquisa da Epsilon indica que cerca de 80% dos clientes se tornam mais propensos a comprar de marcas quando recebem uma experiência personalizada. Ao mesmo tempo, estudo da SmarterHQ mostra que 72% dos compradores só se engajam com uma marca se ela oferecer uma comunicação pessoal.

Isso vai ao encontro de uma análise feita pela consultoria True Impact, do Canadá, sobre o uso de malas-direta. A avaliação mostra que três quartos dos clientes apresentados a uma promoção via carta se lembram vividamente da experiência e da empresa que a ofereceu, ante 44% dos que disseram o mesmo das promoções on-line.

Contudo, o sucesso não depende apenas de uma estratégia de comunicação eficiente ou um bom conteúdo a ser vendido, é fundamental produzir também um material que chame imediatamente a atenção e se destaque na memória do consumidor, cujo espaço está em constante disputa da era da agilidade virtual. E é neste cenário que, além das cartas, também precisamos falar sobre a indústria da rotulagem.

De fato, apesar de primordialmente usados para fins meramente informativos, os rótulos e embalagens também compreendem um inteligente canal de comunicação e atração de clientes, bem como são a porta de entrada no caminho para a fidelização do público-alvo de uma marca, uma vez que funcionam como a identidade visual do produto. As cores e formas são essenciais para que haja o primeiro contato com o consumidor, como consequência disso mais de 30% do faturamento do varejo é originado a partir de itens criados sob medida.

Essa realidade compreende a constante renovação de tamanhos, formatos e tonalidades por parte das empresas, visando sempre a diferenciação com a concorrência enquanto agregam qualidades de valor e beleza nos produtos. O ato de personalizar prova a competência da sua organização em acompanhar o mercado e atender as crescentes necessidades dos clientes.

Logo, pode não ser adequado, por exemplo, “terceirizar” o desenvolvimento da rotulagem, já que ninguém conhece mais o próprio produto do que a marca que o criou, o que impacta diretamente no resultado e na experiência do consumidor. A produção própria de rótulos possibilita a criação de embalagens personalizadas para campanhas específicas, potencializando as vendas ao tornar os itens em uma expressão de individualidade e conexão com o público-alvo.

Momentos como o fim de ano, sobretudo neste 2020 em que nada foi normal, são chaves para criar valor à transformação digital, atendendo as demandas organizacionais que, de fato, estejam em sintonia com as necessidades dos clientes. A evolução da indústria de impressão é um exemplo de como a inovação pode ajudar a gerar um avanço de ofertas e possibilidades de negócios, desenvolvendo estratégias que permitem às empresas realizarem a produção de suas comunicações, rótulos e peças de marketing de maneira flexível, individualizada e com menor custo. Em posse do equipamento adequado para o seu negócio, as organizações têm a garantia de que estão oferecendo algo único para seus clientes, impactando positivamente sua experiência com a marca e reanimando as vendas em um período tão importante e aguardado como o último bimestre do ano.

Editorias: Ciência e Tecnologia  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: PLANIN Worldcom  
Contato: Planin Comunicação  
Telefone: 11--

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.