E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Empresas do grupo Asperbras se adaptaram para evitar Covid, diz José Maurício Caldeira
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site
Usina de biomassa de Guarapuava - Foto: Divulgação
Usina de biomassa de Guarapuava - Foto: Divulgação

Enquanto os cientistas correm para produzir uma vacina e os governos buscam formas de mitigar o impacto do novo coronavírus sobre a população, as indústrias brasileiras estão tendo de se adaptar rapidamente a esta nova realidade, uma vez que seguiram funcionando mesmo durante a pandemia. \"Fizemos adequações nas nossas plantas industriais de modo a mantermos nossa produção e garantir a segurança de nossos colaboradores. A situação não está fácil, mas seguimos em frente\", diz José Maurício Caldeira, sócio, acionista e membro do Conselho de Administração do grupo.

Desde o início do ano, autoridades internacionais e nacionais trabalham para salvar vidas, garantindo o atendimento de saúde, enquanto buscam mecanismos para reduzir o impacto econômico da Covid-19. O Grupo Asperbras está adaptando suas fábricas à esta nova realidade e mantendo as empresas em funcionamento, embora a produção tenha sido reduzida.

Para tanto, adotou protocolos divulgados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e pelo Ministério da Saúde brasileiro. No Grupo Asperbras, empresas como a GreenPlac, que produz chapas de madeira certificada, o laticínio Bonolat, a Abitte Urbanismo, braço do setor de incorporações, além das fábricas Asperbras Tubos e Conexões e Asperbras Rotomoldagem, operam seguindo normas como distanciamento, disponibilização de uso de álcool gel a 70% e novas escalas de trabalho, entre outras medidas.

Com esses cuidados, o Grupo Asperbras tem se mantido operante e garantido a saúde dos seus colaboradores durante a crise. Assim, contribui com o país em um momento delicado, no qual a atividade industrial é determinante para a recuperação econômica. O setor é o que mais gera empregos formais, contrata trabalhadores qualificados e paga os melhores salários. “O segmento industrial tem dado um exemplo de como seguir funcionando em meio à pandemia”, ressalta José Maurício Caldeira.

Nos últimos dias, o mercado financeiro mundial reagiu positivamente diante da reação global no combate à crise. Países da Europa, como França e Itália, além dos Estados Unidos e da própria China começam a reabrir suas economias. Essas nações poderão servir de modelo para o Brasil quando o país retomar as atividades produtivas em sua totalidade.

Editorias: Economia  Negócios  Sociedade  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: ECCO  
Contato: ECCO - Escritório de Consultoria e Comunicação  
Telefone: 11-3888-1144--

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype: -
MSN: -
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.